Skip to main content

Full text of "Metro Brazil - Metro Curitiba - 2013-08-05"

See other formats


LITERATURA 



ROBERTO NICOLATO 



de estreia 



PERSONAGEM COMEMORA 



50anoscomcoleção 



deDVDs pág.13 



GAROTAS 
SELVAGENS 

BANDA LONDRINA SAVAGES LANÇA PRIMEIRO 
TRABALHO, COM LETRAS ENGAJADAS pãg. 12 



metr 



Es 



www.readmetro.com | leitor.ctb@metrojornal.com.br | www.facebook.com/metrojornal | @jornal_metroctb 




Fiscalização aponta 1,6 mil 
construções irregulares 

'Puxadinhos'. Número diz respeito apenas a imóveis vistoriados de janeiro a julho deste ano em Curitiba. Secretaria de Urbanismo faz 
a fiscalização após receber denúncias. Irregularidades são encontradas em 41,9% das denúncias apuradas. Crea também fiscaliza pág.ob 




llflUM 




Guerra durou 4 anos 1 imagem de arquivo / divulgação 



Memória do 
Contestado é 
preservada 

Observatório criado em parceria 
entre a UFPR e a UEL mapeia 
espaços sagrados do conflito pág.cm 

Ameaça terrorista 



Foi a terceira consecutiva leva EUA a fechar 



a primeira do Furacão em casa pacis 22 embaixadas 



Resultado de 2 x o sobre o Goiás levou o Atlético para a oitava posição no campeonato, com 16 pontos ganhos 1 geraldo bubniak/ fotoarena 



Mensagem de líderes da Ai Qaeda 
continha piano de ataque pág.08 



FOCO 




02 



FOCO 



CURITIBA, SEGUNDA-FEIRA, 5 DE AGOSTO DE 2013 
www.readmetro.com 



Licitação da Sanepar 
pode parar na Justiça 



Disputa. Concorrência em andamento vai definir quem irá construir 
os sistemas de saneamento de Matinhos e Pontai do Paraná 



Uma licitação feita pela Sane- 
par para universalizar o aces- 
so ao saneamento em Ma- 
tinhos e Pontal do Paraná 
caminha para um impasse 
que pode ser solucionado ape- 
nas na Justiça. 

Seis empresas enviaram 
propostas financeiras para a 
locação de sistemas de sanea- 
mento. Nessa modalidade, 
a iniciativa privada irá cons- 
truir as redes de coleta, liga- 
ções e estações de tratamen- 
to e as alugará para a Sanepar 
por um prazo de 20 anos. A 
abertura das propostas ocor- 
reu no dia 7 de junho. 

A empresa que apresen- 
tou o menor preço entre as 
seis participantes do certame, 
a Itajuí Engenharia de Obras, 
foi desclassificada sob alega- 
ção de descumprimento de 
itens do edital. Ela havia pro- 
posto um desconto de R$ 83 
milhões (na soma dos VLM - 
Valor de Locação Mensal - dos 
20 anos) em relação à segun- 
da colocada. 

Segundo o sócio-proprie- 
tário da Itajuí, Paulo Cesar 
Varassin, o próprio edital da 



20 anos 

é o prazo de locação dos sistemas 
de saneamento de Matinhos 
e Pontal do Paraná, segundo o 
edital. A vencedora faz as obras 
e aluga os ativos à Sanepar. 



Sanepar previa correção de 
eventuais erros. Por isto, a 
empresa entrou com recur- 
so administrativo junto à co- 
missão de licitação. Essas cor- 
reções, segundo Varassin, não 
trariam qualquer prejuízo ao 
preço apresentado, ao contrá- 
rio, aumentariam o desconto. 
"Não há justificativa para não 
atender ao recurso", disse ao 
Metro. Ele adiantou que se o 
recurso for negado, a empre- 
sa recorrerá à Justiça. 

Conforme o edital, a ven- 
cedora constituirá uma SPE 
(Sociedade de Propósito Espe- 
cífico) para construir os siste- 
mas e locá-los para a Sanepar. 
No caso da Itajuí, a SPE seria 
formada com a construtora 
JMalucelli. ® metro curitiba 



Educação. Começa hoje o 
cadastro de crianças que irão 
entrar na escola em 2014 



As crianças nascidas em 2008 
e que ingressarão em 2014 
no I o ano do ensino funda- 
mental nas escolas munici- 
pais de Curitiba devem ser 
cadastradas a partir de hoje. 

O procedimento é gra- 
tuito e é feito pelo si- 
te www.cidadedoconheci- 
mento.org.br até o dia 23 
de agosto. É preciso preen- 
cher o formulário com in- 
formações da certidão de 
nascimento original da 
criança, do documento de 
identidade (RG) dos pais ou 



responsáveis e do código de 
comprovante de residência. 

Segundo a Prefeitura, es- 
se cadastro é um instrumento 
para organizar a oferta de tur- 
mas, evitar filas e tentar ga- 
rantir a vaga em escolas pró- 
ximas da casa do estudante. 

Quem não tem acesso 
à internet pode procurar 
qualquer escola municipal 
ou núcleo regional de edu- 
cação, de segunda a sexta- 
-feira, das 8h às llh30 ou 
das 13h30 às 17h. 

© METRO CURITIBA 



As propostas 



O VLM (Valor de Locação 
Mensal) máximo previsto 
no edital era de 
R$ 2.112.901,60. As propos- 
tas das seis empresas foram: 

• Itajuí Engenharia de 
Obras Ltda 

R$ 1.687-000,00 

• Goetze Lobato 
Engenharia Ltda. 

R$ 2.074-869,37 

• Construtora Passarelli 
Ltda. 

R$ 2.091.772,58 

• DM Construtora de 
Obras Ltda. 

R$ 2.102.337,09 

• Trail Infraestrutura Ltda 

R$ 2.112.901,60 

• Acma Construções Ltda 

R$ 2.186.853,16 



Acidente 



Carro cai no 
rio Bariguie 
motorista morre 

Um motorista de 25 
anos morreu depois de 
perder o controle do 
carro e cair no Rio Ba- 
rigui. O acidente foi na 
BR-277, em frente ao 
Park Shopping Barigui, 
no bairro Campina do 
Siqueira, ontem pela 
manhã. 

A Polícia Militar não 
soube informar se ha- 
via mais pessoas den- 
tro do veículo. 

® METRO CURITIBA 




Sistema deve universalizar esgoto no litoral 1 rodrigo félix leal / metro curitiba 



Em nota, 
estatal cita 
itens do edital 

Procurada pelo Metro, a Sa- 
nepar não quis se manifes- 
tar sobre os questionamen- 
tos específicos da empresa 
Itajuí. Em nota divulgada 
na semana passada, a Sane- 
par havia dito que a empre- 
sa que ofereceu o maior des- 
conto (a Itajuí) descumpriu 
itens do edital. 

Diz a nota que a empresa 



previa a execução das obras 
além do prazo do contrato; 
previa a locação dos ativos 
além do prazo; apresentou 
inconsistência no plano de 
negócios e na composição 
do fluxo de caixa; não com- 
provou disponibilidade de 
recursos próprios; e capital 
da SPE no primeiro ano infe- 
rior ao estabelecido. 

A Itajuí alega que são fi- 
ligranas corrigíveis, que de- 
veriam ser superadas em ra- 
zão do menor preço do VLM 
(Valor de Locação Mensal). 

© METRO CURITIBA 



Regularização. Mais de 2 mil 
ações fundiárias são feitas 
no primeiro semestre no PR 



Mais de 2 mil ações de re- 
gularização fundiária fo- 
ram realizadas no primei- 
ro semestre em todo o 
Paraná. As ações integram 
o programa "Minha Terra 
Paraná", coordenado pelo 
ITCG (Instituto de Terras, 
Cartografia e Geociências). 

De acordo com o gover- 
no, as regularizações fun- 
diárias realizadas neste 
ano foram feitas por meio 
de ações coletivas de usu- 
capião. A medida faz par- 



te do Programa Pró-Rural, 
que é financiado pelo Ban- 
co Mundial com investi- 
mentos no valor de R$ 11 
milhões. As famílias en- 
volvidas no processo re- 
cebem os documentos de 
posse sem custo. 

Com isso, os proprietá- 
rios das terras poderão se 
beneficiar de diversas po- 
líticas públicas, como o 
crédito rural e na área da 
habitação popular. 

© METRO CURITIBA 

















FALECOMAREDAÇÃO 

leitor.ctb@metrojornal.com.br 
041/3069-9189 
COMERCIAL: 041/3069-9200 


EXPEDIENTE 

Metro Brasil. Presidente: Cláudio Costa Bianchini (MTB: 70.145). 

Editor Chefe: Luiz Rivoiro (MTB: 21.162). Diretor Comercial e Marketing: Carlos Eduardo Scappini. 
Diretora Financeira: Sara Velloso. Diretor de Tecnologia e Operações: Luiz Mendes Júnior. 
Gerente Executivo: Ricardo Adamo. 

Coordenador de Redação: Irineu Masiero. Editor-Executivo de Arte: Vítor Iwasso. 

Metro Curitiba. Gerente Executivo: Rodrigo Afonso. Editora-Executiva: Martha Feldens (MTB: 071). 
Editor de Arte: Antonio Virgili. Grupo Bandeirantes de Comunicação Curitiba - Diretor Geral: André 
Aguera. Grupo J. Malucelli - Presidente: Joel Malucelli. 


Editado e distribuído por Metro Jornal S/A. 
Endereço: rua Santa Cecília, 802, 
Pilarzinho, CEP: 80820-070, Curitiba. 
Tel.: 041/3069-9200 

0 jornal Metro é impresso na Gráfica 
RBS - Zero Hora Editora Jornalística S/A. 

,,,^1^^ A tl - ra g em e distribuição 

1 w desta edição são 

auditadas pela BDO. 
30.000 exemplares 


0 jornal Metro circula em 23 países e tem alcance diário superior a 20 milhões 
de leitores. No Brasil, é uma joint venture do Grupo Bandeirantes de Comunicação 
e da Metro Internacional. É publicado e distribuído gratuitamente de segunda a 
sexta em São Paulo, Brasília, Rio de Janeiro, Belo Horizonte, Curitiba, Porto Alegre, 
ABC, Santos e Campinas, somando mais de 480 mil exemplares diários. 



CPIdos 
pedágios 

Os membros da CPI 
dos Pedágios na 
Assembleia Legislativa 
retomam as atividades 

amanhã, às 9 horas. 
A comissão é presidida 
pelo deputado Nelson 

Luersen (PDT). 
A reunião será na Sala 

das Comissões, no 
terceiro andar o prédio 
da administração. 



Cotações 




* 


Dólar 

-0,60% 
(R$ 2,28) 




Bovespa 

- 1,36% 
(48.474 pts) 


Euro 

+ 0,46% 
■ (R$3,04) 


Selic 

(8,50%) 


Salário 
mínimo 

(R$ 678) 



CURITIBA, SEGUNDA-I 
www.readmetro.com 



FEIRA, 5 DE AGOSTO DE 2013 



FOCO 



03 




Urbanismo vê irregularidades 
em 41% dos imóveis fiscalizados 

Cidade. índice vaie apenas para imóveis vistoriados após denúncias. Crea-PR aponta problemas em até 70% das construções novas 



Do começo deste ano até o fi- 
nal de julho, a Secretaria Mu- 
nicipal de Urbanismo fiscali- 
zou 3.817 imóveis na cidade 
e encontrou irregularidades 
em 1.600 deles. O índice é de 
41,9%, e refere-se apenas àque- 
les que foram vistoriados após 
denúncias oficiais à prefeitura. 

A secretaria não tem um 
levantamento de quantos, 
dentre todos imóveis da cida- 
de, têm irregularidades, mas 
o problema já está em deba- 
te na Câmara Municipal. "Por 
diversas razões, nós percebe- 
mos um índice alto de imó- 
veis que estão irregulares, 
seja por ocupações ou cons- 
truções feitas sem autoriza- 
ção", diz o vereador Dirceu 



10.040 

fiscalizações foram feitas 
pelo Crea no ano passado 
em Curitiba. 



Moreira (PSL). Ele propôs um 
projeto de lei dando um prazo 
de cinco anos para que os pro- 
prietários se adéquem. 

Os problemas vão desde 
"puxadinhos", que infringem 
os recuos definidos pela le- 
gislação municipal, até cons- 
truções em áreas de preser- 
vação ambiental, que teriam 
que ser removidas. Segundo 
dados da Cohab 170 mil pes- 



soas, em Curitiba, vivem em 
áreas irregulares. 

Reformas 

O Crea-PR (Conselho Regional 
de Engenharia e Agronomia 
no Paraná) fiscaliza reformas 
e construções novas em Curi- 
tiba. O conselho checa prin- 
cipalmente se elas têm enge- 
nheiros responsáveis e ART 
(Anotação de Responsabilida- 
de Técnica), e os dados com- 
provam que a informalidade 
é regra nas construções. 

Das 10.040 fiscalizações 
feitas no ano passado, foram 
encontradas irregularidades 
entre 60 e 70% delas, segun- 
do a gerente do departamen- 
to de fiscalização do conselho, 



Vanessa Moura. "É impossível 
garantir que as todos os proje- 
tos sejam vistoriados na cida- 
de. Não temos equipe para is- 
so e a prefeitura se concentra 
principalmente nas denún- 
cias", diz ela. 

Um convénio firmado pelo 
Crea e a prefeitura há quatro 
anos previa que à cada fiscali- 
zação fossem checados os al- 
varás. Mas isso não foi levado 
à frente. "Como muitas vezes 
os documentos não estavam 
no local, fica difícil obter a in- 
formação", disse Vanessa. 



THIAG0 
MACHADO 

METRO CURITIBA 




Legislação 



Imóveis antigos 
preocupam 

A gerente do Departamen- 
to de Fiscalização do Crea- 
-PR, Vanessa Moura, alerta 
que não existe, em Curitiba, 
nenhuma regra para os imó- 
veis antigos da cidade pas- 
sem por fiscalizações regu- 
lares. "O que acontece hoje 
é que nenhuma pessoa quer 
deixar seu condomínio cain- 
do aos pedaços, mas não há 
nada que obrigue", diz. 
Segundo ela, com o pas- 



sar dos anos os locais vão 
passando por várias refor- 
mas, que podem compro- 
meter a segurança das estru- 
turas. "Temos que lembrar 
o desabamento que aconte- 
ceu no Rio de Janeiro recen- 
temente", disse. 

® METRO CURITIBA 




Pintando a Cidadania 



Exposição 
começa hoje no 
Afonso Pena 

Será aberta hoje, às 9h, a 
Exposição Projeto Pintan- 
do a Cidadania, no Espaço 
Cultural João Roberto de 
Paula, no aeroporto Afon- 
so Pena. A mostra reúne 
trabalhos produzidos com 
mão de obra de egressos 
do sistema penitenciário e 
prestadores de serviço co- 
munitário, no Patronato 
Penitenciário do Paraná. 

© METRO CURITIBA 



Feira da PUC terá máquina 
com 'medidor de certeza' 



A feira Planeta PUC 2013, 
que será realizada em 
Curitiba de quinta-feira 
até sábado para apresen- 
tar os mais de 60 cursos 
da universidade, contará 
com uma máquina chama- 
da de 'Medidor de Certeza' 
para ajudar os estudantes 
na escolha da carreira. 

A tecnologia usada é a 
mesma de um Polígrafo, 
com o objetivo de detectar 
a veracidade das informa- 



ções em um depoimento. 
A análise é feita pela pre- 
cisão e timbre da voz do 
estudante, além de regis- 
tros de mudanças no bati- 
mento cardíaco. 

"A máquina avalia a 
precisão das respostas. O 
objetivo não é dar um ve- 
redicto sobre a escolha, 
mas sim mostrar aos es- 
tudantes a importância 
da decisão. É importante 
frisar também que não se 



trata de um teste vocacio- 
nal", explica o diretor de 
marketing do Grupo Ma- 
rista, Stephan Younes. 

Os estudantes também 
poderão conversar com os 
psicólogos e demais pro- 
fessores presentes nos es- 
tandes do Planeta PUC so- 
bre os cursos. 

Nos dias 8 e 9 de agos- 
to, a feira funcionará das 
9h às 21h e no dia 10, das 

9h àS 16h. @ METRO CURITIBA 



Cursos. IFPR abre 
inscrições para o 
processo seletivo 2014 



Estão abertas as inscri- 
ções para as 3.856 vagas 
do processo seletivo 2014 
do IFPR (Instituto Federal 
do Paraná). Elas podem ser 
realizadas até o dia I o de 
setembro por meio do si- 
te www.ifpr.edu.br. A taxa 
é de R$ 35. 

São 77 cursos técnicos e 
22 superiores nas cidades 
de Assis Chateaubriand; 
Campo Largo; Cascavel; 



Curitiba; Foz do Iguaçu; 
Irati; Ivaiporã; Jacarezi- 
nho; Londrina; Palmas; 
Coronel Vivida; Parana- 
guá; Paranavaí; Telêmaco 
Borba e Umuarama. 

As provas serão no dia 
6 de outubro nas 14 cida- 
des que possuem campi do 
IFPR, além da Unidade de 
Educação Profissional em 
Coronel Vivida. 

© METRO CURITIBA 



metn 



04 FOCO 



CURITIBA, SEGUNDA-FEIRA, 5 DE AGOSTO DE 2013 
www.readmetro.com 



Observatório preserva 
memória do Contestado 

Pesquisa académica. Criado no ano passado, observatório é mantido peia UFPR e peia UEL. Atividades estão programadas até 2016 



Mantido pela UEL (Universi- 
dade Estadual de Londrina) 
e pela UFPR (Universidade 
Federal do Paraná) desde o 
ano passado, o Observatório 
do Centenário da Guerra do 
Contestado está mapeando 
os "espaços sagrados" deixa- 
dos pelos monges que lide- 
raram o conflito, entre 1912 
e 1916. São levantados todos 
os vestígios sobre os quatro 
anos da guerra, resultado de 
disputa territorial e religio- 
sa entre a população cabo- 
cla e os representantes do 
Estado, na região que divide 
o Paraná de Santa Catarina. 

Segundo o professor Nil- 
son César Fraga, do Depar- 
tamento de Geociências da 
UEL, e coordenador do ob- 
servatório, uma série de 
atividades será realizada 
até 2016, ano que encer- 
ra o centenário da guerra. 
"Vamos lançar um livro por 
ano. Todo o material que 
está sendo levantado em 
nossas pesquisas será usa- 
do na difusão da história e 
das consequências do con- 
flito, que são pouco discu- 
tidas no Paraná e no País", 
afirma Fraga. 

Pesquisa de campo 

A partir de pesquisa de cam- 
po e entrevistas que retomam 
a passagem dos monges pe- 
lo Sul do País no século 19, 
o grupo de alunos pretende 
construir uma espécie de ma- 
pa dos "espaços sagrados". 

O monge mais conhecido 
é João Maria. "Os monges são 
espécies de santos populares, 
que pertencem ao povo, mas 
não foram canonizados pela 
Igreja. Eles foram importan- 



Trabalhos práticos 



Confira o que já foi feito pelo 
Observatório desde 2012: 

• Entre as cidades visitadas 
pelas pesquisas de campo 
estão Faxinai, Marilândia 
do Sul, São Jerônimo da 
Serra, Campo Mourão, 
Rebouças, Pitanga, Lapa, 
Mallet e Telêmaco Borba. 

• Já foram realizadas 25 
palestras e conferências 
no Paraná e em Santa 
Catarina. Além do livro 
"Contestado em Guerra 




Imagens 



FOTOS: DIVULGAÇÃO / OBSERVATÓRIO DO CENTENÁRIO DA GUERRA DO CONTESTADO 



t\ «1 



Conflito começou em 1912 e foi até 1916, na região que divide o Paraná de Santa Catarina 1 imagem de arquivo/divulgação 



10 mil 1916 



mortos é uma das estimativas 
totais de baixas durante os quatro 
anos de guerra, sendo cerca de 
5 a 8 mil caboclos. Um massacre 
que eliminou boa parte da 
população negra e quilombola. 

tes, porque até hoje ajudam a 
entender o mundo caboclo", 
avalia o professor. 

Para Fraga, os vestígios da 
época se perderam conforme 
avançou a ocupação das cida- 
des. Mas os efeitos do conflito 
podem ser visto até hoje, nas 
regiões mais miseráveis. 

"Há pesquisadores que es- 
tudam o Contestado a partir 
de uma guerra chamada de 
messiânica, que envolve o fa- 
natismo religioso daquele po- 



- 100 anos de massacre 
insepulto do Brasil" 
(Ed. Insular, 550 págs.), 
também já foi editado 
o livro "Vale da Morte: 
o Contestado visto e 
sentido - Entre a crua 
de Santa Catarina e a 
espada do Paraná" 
(Ed. Hemisfério Sul). 

Em junho de 2012 foi 
lançado o documentário 
"Olhar Contestado - 
desvendando códigos 
de um conflito". 



é o ano oficial de término do 
conflito, mas seu fim extraoficial 
aconteceu em 1917, com a limpeza 
da terra para a recolonização. 
0 território pertencia havia mais 
de 200 anos à população cabocla. 

vo caboclo. Nós estudamos o 
viés territorial, que extrapola 
os meios académicos e chega 
a toda a sociedade ", explica. 

Legado 

Com o fim dos trabalhos do 
Observatório, em 2016, to- 
do o material levantado nas 
pesquisas de campo e publi- 
cações será reunido para di- 
vulgação do Contestado, de 
acordo com o coordenador. 

© METRO CURITIBA 




"É preciso romper a 
invisibilidade que cerca 
a história do Contestado, 
para que seja mais 
trabalhada e estudada 
nas escolas. Os efeitos 
da guerra podem ser 
vistos até hoje nas 
regiões miseráveis 

NILSON CÉSAR FRAGA, PROFESSOR DO 
DEPARTAMENTO DE GEOCIÊNCIAS DA UEL 
E COORDENADOR DO OBSERVATÓRIO 





1 



'Trilha sagrada'. Capela de 
São João Maria, em Curiúva 



Em um dos trajetos, o grupo de pesquisadores de cam- 
po do Observatório visitou a capela de São João Maria, 
dedicada ao monge que liderou o Contestado. 



2 



'Olhar Contestado'. Documentário 
foi produzido com softwares livres 



Produzido pela professora da PUC-PR Fabiane Balvedi 
(foto), o documentário "Olhar Contestado" foi lançado 
no ano passado, e feito meio do uso de softwares livres. 



3 



0 monge. Memória de João 
Maria ainda está presente 



Considerado um santo popular, a figura de João Maria 
se refere a um dos monges que lideraram os caboclos da 
região, no período que vai de 1870 a 1912. Sua memória 
ainda está viva entres os herdeiros do Contestado. 



4 



Pesquisa de campo. Poço do 
Monge em Matos Costa 



Fontes de água santa remetem à figura simples dos 
monges. Este poço foi encontrado em Matos Costa (SC). 




\Nikon\ 



UM PASSO A FRENTE 



1 '1 



lRtOO/ VI SIMPLESMENTE FÁCIL 
ly/OfclA J SIMPLESMENTE IMPRESSIONANTE. 

Modo G uia Inovador: Potência de cârnera profissional, fácil idade 
de cârnera compacta 



* 2 aros 
de garantia* 




• Lente NIKKGR 18-55mm * Vídeos em Full HD 

• 24.2 Megapixeis • Formato DX 

JÓ" 3 np4n«n!i ijJJ.rjl/rti Vir*"!.* 0. J rín í^iWiH í^an [VI pirtií n A* tgmmitaA» p#í h*DP * fr«J H*»™**» sfeífl HdEMS t *M Tt™. IW W«#90U"«Jt í Itin» fc l-ttugS» r KtUC W*# nkqn «PA.» 



metn 



06 



BRASIL 



CURITIBA, SEGUNDA-FEIRA, 5 DE AGOSTO DE 2013 
www.readmetro.com 



H 



NA CAMARA 



1 



DESTINA 100% 
DOS ROYALTIES 
PARA A SAÚDE 

(PL 323/07) 



0 



Plenário ainda \ 
precisa votar 
quatro destaques/ 



2 



TRANSFORMA A 
PRÁTICA DE 
CORRUPÇÃO EM 
CRIME HEDIONDO 

(PL 6616/09) 




Aguarda votação^ 
do plenário J 



FICHA LIMPA PARA 
SERVIDORES 



PÚBLICOS 

(PEC 6/2012) 



I^P Aguarda remessas 
às comissões 
temáticas, antes 
de ser levada a 
i plenário 



rui 

4PRI 
AU 



FIM DO FORO 
PRIVILEGIADO PARA 
AUTORIDADES EM 
CRIMES COMUNS 

(PEC 470/2005) 



Aguarda análise 
da Comissão de 
Constituição e 
Justiça e, depois, 
precisará passar 
pelo plenário da 
Câmara e do 
Senado 



5 



CRIAÇÃO DO 
REGIME ESPECIAL 
DE INCENTIVOS 
PARA O TRANS- 
PORTE COLETIVO 
(PLC 310/2009) 



Aguarda remessas 
às comissões 
temáticas, antes 
de ser levado 
i a plenário 



Hora de pagar 

promessas 



Congresso. Na retomada dos trabalhos, parlamentares têm pela frente 
compromisso com a agenda positiva criada em meio às manifestações 



FIM DO VOTO 
SECRETO PARA 
SESSÃO DE 
CASSAÇÃO DE 
MANDATO 
^EC2 



Aguarda votação 
do plenário e, se 
aprovada, segue 
para a Câmara 



3 



PLANO NACIONAL 
DE EDUCAÇÃO QUE 
DESTINA 10% DO 
PIB PARA 
EDUCAÇÃO 
(PLC 103/2012) 



Aguarda parecer 
da Comissão de 
Constituição e 
Justiça. Ainda 
precisa passar 
pelo plenário 
do Senado 



Sob o pretexto de falta de 
acordo para votar a LDO 
(Lei de Diretrizes Orçamen- 
tárias), os deputados e se- 
nadores contrariaram a lei 
e se auto-declararam de re- 
cesso. Foram 19 dias de fol- 
ga e, na volta ao trabalho 
hoje, o Congresso tem a es- 
pera uma extensa pauta a 
cumprir, criada em meio a 
pressão popular das mani- 
festações de junho. 

Oficialmente, o período 
de descanso foi ilegal. O in- 
ciso 2 do artigo 57 da Cons- 
tituição Federal é claro: 'A 
sessão legislativa não será 
interrompida sem a aprova- 
ção do projeto de lei de di- 
retrizes orçamentárias'. 

No auge da onda de pro- 
testos, o presidente do Se- 
nado, Renan Calheiros 



"Estamos retomando 
os trabalhos. Vamos 
trabalhar para manter 
o ritmo intenso de 
votações" 

RENAN CALHEIROS, PRES. DO SENADO 

(PMDB-AL), chegou a anun- 
ciar: "Não haverá reces- 
so até que esgotemos essa 
agenda, que é prioritária 
para o Congresso Nacio- 
nal". Duas semanas depois 
da declaração, a realidade 
já era outra. Nenhum sena- 
dor estava disponível nos 
corredores da Casa. 

Na quinta passada, quan- 
do o recesso ilegal chegou 
ao fim, o quórum não foi 
dos mais animadores. Ape- 



Impasse na divisão do fundo 
ameaça lei dos royalties 



nas 36 dos 513 deputados 
e 34 dos 81 senadores re- 
gistraram presença. "Não 
adianta voltar por voltar", 
afirmou o vice-presidente 
da Câmara, deputado An- 
dré Vargas (PT-PR) 

Como não houve sessões 
deliberativas, com o regis- 
tro obrigatório de presença, 
nenhum faltoso terá des- 
conto no contracheque des- 
te mês. 

Compromissos 

Para atender a 'voz das 
ruas', a dedicação dos de- 
putados e senadores precisa 
aparecer. Os projetos pro- 
metidos à população ainda 
têm que cumprir várias eta- 
pas legislativas para que se 
transformem em lei (veja 
quadros). 



Em 10 anos 



R$ 205 BI 

PROPOSTA DA CÂMARA 



Amanhã, os líderes dos 
partidos na Câmara dos De- 
putados e no Senado fazem 
a primeira reunião do se- 
gundo semestre para defi- 
nir a pauta de votações. Pa- 
ralelamente às atividades 
do plenário, a Comissão Es- 
pecial da Reforma Política 
começa a analisar sugestões 
para as mudanças no siste- 
ma eleitoral que serão vota- 
das em novembro próximo. 

Até o momento, os pro- 
testos deixaram como le- 
gado apenas o arquiva- 
mento do projeto da 'cura 
gay' e da PEC 37 - que res- 
tringia a atuação do Minis- 
tério Público. 



nu 

4PRI 
AU 



FIM DO FORO 
PRIVILEGIADO PARA 
AUTORIDADES EM 
CRIMES COMUNS 

(PEC 10/2013) 

Aguarda votação 
do plenário e, se 
aprovada, segue 
para a Câmara 



5 



FIM DA APOSENTA- 
DORIA COMPUL- 
SÓRIA COM SALÁRIO 
INTEGRAL PARA 
MAGISTRADOS QUE 
COMETEM CRIMES 
(PEC 75/2011) 



5 



MARCELO 
FREITAS 

METRO BRASÍLIA 



Aguarda votação 
do plenário e, se 
aprovada, segue 
para a Câmara 



Primeiro item da pauta de 
votação da Câmara, o projeto 
que destinará 75% dos royal- 
ties do petróleo para a educa- 
ção e 25% para a saúde tem 
a votação marcada para ama- 
nhã, mas está distante de um 
acordo. A principal dificulda- 
de é acertar como será feita a 
partilha do dinheiro do fun- 
do social, que funcionará co- 
mo poupança dos recursos 
destinados à União a partir 
da exploração do petróleo na 
camada pré-sal. 



Já derrotado na destinação 
de 100% dos royalties para 
educação, o governo propôs 
originalmente que metade 
dos rendimentos do fundo se- 
jam destinados para o setor 
na próxima década, sem que 
haja retiradas do valor investi- 
do. Os deputados, porém, de- 
fendem o uso de 50% do valor 
do fundo nos próximos dez 
anos, o que garantiria em tor- 
no de R$ 10 bilhões por ano 
para educação até 2023. 

O governo está preocupa- 



do com o impacto financeiro 
que a proposta da Câmara 
pode gerar aos cofres públi- 
cos e buscará um consenso 
que evite o desgaste de ve- 
tar as mudanças no futuro 
ou ainda que a proposta se- 
ja objeto de ação no STF (Su- 
premo Tribunal Federal). A 
ministra das Relações Insti- 
tucionais, Ideli Salvatti, terá 
um encontro amanhã com o 
relator da matéria, deputado 
André Figueiredo (PDT-CE). 

® METRO BRASÍLIA 




R$ 108 BI 

PROPOSTA ORIGINAL 



Dilma já sancionou dois 
projetos da agenda positiva 



Em resposta aos protestos, 
a presidente Dilma Rousseff 
conseguiu colocar em vigor 
dois projetos aprovados pe- 
lo Congresso: o que prevê 
punição a empresas que co- 
metem atos de corrupção 
contra a administração pú- 
blica e o da criação do sis- 
tema nacional de combate e 
prevenção à tortura. 

A partir de agora, as em- 
presas flagradas cometendo 
irregularidades ou partici- 
pando de esquema de des- 
vio de recursos públicos po- 
derão ser multadas em valor 



equivalente a 20% do fatura- 
mento bruto até o limite de 
R$ 60 milhões, sem depen- 
der de decisão judicial. 

Já a lei contra a tortura 
cria dois órgãos responsá- 
veis por monitorar denún- 
cias de maus tratos. Será 
constituído também o Co- 
mité Nacional de Preven- 
ção e Combate à Tortura, 
que poderá fazer inspeções 
em presídios, delegacias, 
hospitais psiquiátricos e 
asilos para apurar even- 
tuais violações aos direitos 
humanos.® metro brasília 



CURITIBA, SEGUNDA-FEIRA, 5 DE AGOSTO DE 2013 
www.readmetro.com 



BRASIL 07 



Divórcio e inventário são 
mais fáceis em cartórios 

Tempo e custo. Processos judiciais que demoravam até um ano ; podem levar apenas dois dias, além de ficarem mais baratos 



Processos que antes eram 
feitos apenas no Judiciário, 
agora podem ser realizados 
em cartórios com economia 
de tempo e dinheiro. Casos 
que antes demoravam anos 
para serem finalizados, po- 
dem levar dias. Com essa ra- 
pidez, também é menor os 
custos que o advogado re- 
passa ao cliente. 

Essa facilidade é possível 
por causa da Lei n° 11.441 de 
2007. "É a mais importante 
do ponto de vista da desjudi- 
cialização, tornou a vida da 
população mais simples e 
ágil com a realização de in- 
ventário, partilha e divórcio 
consensual por via admi- 
nistrativa", explica o vice- 
-presidente da Anoreg-PR 
(Associação dos Notários e 



80.184 

escrituras de divórcio foram 
realizadas no Brasil em 2011, 
ante 28.164 em 2007, segundo 
dados do IBGE. No Paraná, o 
número de divórcios feitos em 
cartório passou, nesse mesmo 
período, de 3.853 para 9.569. 



Registradores do Estado do 
Paraná), Angelo Volpi Neto. 

No caso dos divórcios, é 
possível recorrer ao cartó- 
rio quando não há conflito 
entre as partes e não há e 
envolvimento de filhos me- 
nores de 18 anos. 

"Até as pessoas que não es- 
tão em acordo têm feito um 



esforço junto com os advoga- 
dos porque veem a diferença 
de tempo. Uma ação judicial 
ligitiosa leva mais ou menos 
oito anos", conta Volpi. 

Segundo a advogada 
Myrella Binhara Sanson, 
atualmente 90% dos proces- 
sos de divórcio e inventário 
em que ela atua são extraju- 
diciais. "O tempo de espera 
é de apenas dois dias. Além 
disso, desafogamos o Judi- 
ciário para questões que 
realmente sejam necessá- 
rias, que são esses 10% res- 
tantes. A confiança e o re- 
sultado são os mesmos", 
garante. 



UNA 
HAMDAR 

METRO CURITIBA 




Arauco rio ê Soo José dos Pinhais. 



2e3 

dorms. 

izer completo 



~ 7 



ENTRADA em até 

12 x 




f7flf 4004-9000 



www.mrv.com.br 



NET EMPRESAS. 



ASSINE JÁ: 4004-8844 





Empreendedorismo 



BRUNO CAETANO 

BRUNO.CAETANO/Â) METROJORNAL.COM.BR 



BONS CONTATOS LEVAM 
A BONS NEGÓCIOS 

Em qualquer ramo, ter uma rede de contatos é essencial. 
Mais do que o popular "fazer uma social", estabelecer 
bons relacionamentos profissionais é útil e estratégico 
para empresas de qualquer porte. O chamado networ- 
king permite trocar informações, abre caminho para 
parcerias e projetos, entre outros benefícios. O resulta- 
do vem em forma de mais vendas e faturamento maior. 

Mas essa prática deve obedecer a alguns princípios 
para realmente proporcionar retorno. Você terá de cons- 
truir sua rede de contatos sistematicamente. Deman- 
da tempo, ir a eventos como feiras do setor, seminários 
e congressos, conhecer gente, trocar cartões, e-mails e 
perceber interesses comuns. 

O contato precisa ser periódico, contudo, exagerar 
na frequência com que se procura uma pessoa ou gru- 
po pode saturar a relação e causar efeito negativo. Va- 
le criar uma rotina para falar com os conhecidos, mas 
mantenha um intervalo mínimo entre uma comunica- 
ção e outra. No entanto, só se lembrar deles quando pre- 
cisa de algo é um erro. Fica mal visto quem age assim. 
No networking, ofereça antes de pedir. O ponto de par- 
tida é mostrar interesse sincero. Por isso, converse com 
eles também nos momentos bons. Aliás, o ideal é iniciar 
a relação nessa hora. 

Não despreze nenhuma aproximação. Mesmo que a 
pessoa não tenha afinidade com seu negócio, ela pode 
ser a ponte para chegar a alguém que esteja no seu raio 
de ação e representa uma oportunidade. 

A internet também é aliada. Redes sociais de perfil pro- 
fissional são opções. Mas atenção a suas postagens nes- 
se ambiente, pois passarão a compor sua imagem, para o 
bem ou para o mal, atraindo ou afastando interessados. 

O networking representa um grande facilitador. Com 
um telefonema ou e-mail, você consegue a informação 
ou a ajuda que busca. 

Tenha sempre em mente que a rede de contatos é 
uma maneira de se desenvolver profissionalmente. Se 
você se relacionar com pessoas e empresas que tenham 
algo a acrescentar, você estará a caminho do próprio 
aprimoramento. Mesmo que a maioria de suas conver- 
sas não resulte em negócios, a troca de conhecimentos 
já vale a pena. 



Bruno Caetano é diretor superintendente do Sebrae-SP e mestre e doutorando em Ciência Política 
pela Universidade de São Paulo. 0 Sebrae-SPé uma instituição dedicada a ajudar micro e pequenas 
empresas a se desenvolverem e se tornarem fortes. Saiba mais em www.sebraesp.com.br 



4004-8844 

NftÊMFRESAS.C OM . B R 



■ N 

Efv 



vJ = T 

num» ( vMmti 



Carro. Venda deve ser menor 



Com as projeções de cresci- 
mento menor do PIB neste 
ano, a Fenabrave, que repre- 
senta as concessionárias de 
veículos, reduziu a previsão 



de vendas de automóveis e 
comerciais leves para 2013. 
A projeção de crescimento 
da entidade caiu de 2,60% 
para 1,03%. © metro 



metn 



08 



ECONOMIA 



CURITIBA, SEGUNDA-FEIRA, 5 DE AGOSTO DE 2013 
www.readmetro.com 



Investidor tem alívio 
em julho, mas deve 
manter cautela 



Seu bolso. Para analistas, cenário ainda é 
incerto e mercado vai continuar volátil. Alta do 
dólar deixa ação de exportadora mais atrativa 



ALÍVIO EM JULHO jjV 



0 mês de julho trouxe um 
pouco de alívio para o inves- 
tidor. Com a desaceleração 
da inflação no mês passa- 
do, todas as aplicações apre- 
sentaram pela primeira vez 
no ano ganho real. Um dos 
destaques foi a Bolsa, que fe- 
chou o seu primeiro mês no 
azul, com uma alta de 1,64%. 

Isso não significa, no en- 
tanto, uma mudança de ce- 
nário. Para analistas, o mo- 
mento ainda exige cautela. 
"Não mudou nada. 0 cená- 
rio continua incerto", diz 
Arnaldo Curvello, diretor de 
gestão de recursos da Ativa. 

A avaliação é de que a re- 
cuperação da Bolsa em ju- 
lho foi pontual. Refletiu a 
manutenção do discurso do 
Fed, o banco central norte- 
americano, sobre o progra- 
ma de estímulos à economia 
dos EUA, dados positivos da 
atividade da China e recu- 
peração das ações da OGX, 
do empresário Eike Batis- 
ta, entre outros fatores. "0 
mercado vai continuar bem 
volátil até o final do ano", 
afirma Mitsuko Kaduoka, 
diretora de análise de inves- 
timento da BI&P - Indusval 
& Partners Corretora. 

0 baixo crescimento da 
economia, a alta do dólar 
e as perspectivas de altas 
dos juros contribuem pa- 
ra o pessimismo no merca- 
do nacional. "A valorização 
do dólar não apareceu ain- 
da na inflação medida pelo 
IGP-M", acrescenta Mitsuko. 

Diante desse cenário, diz 
a economista, o pequeno 
investidor deve ter cautela 
ao aplicar em renda variá- 



vel. Por outro lado, também 
pode ser uma boa para co- 
meçar a investir na Bolsa, 
que, embora tenha fecha- 
do no azul em junho, acu- 
mula perdas de mais de 20% 
no ano. "Apesar da recupe- 
ração em julho, não há pre- 
visão de melhora. Só que os 
preços estão muito baixos", 
afirma Aline Rabelo, coor- 
denadora do Investmania. 

Mas ela lembra que a 
Bolsa é um investimento de 
longo prazo, de três a cin- 
co anos. "0 grande segre- 
do é escolher uma empresa 
sólida, buscar informações 
e acompanhar o desempe- 
nho", diz Aline. 

De vinte carteiras de cor- 
retoras para agosto, as ações 
mais recomendadas dos pa- 
péis da Vale (11 carteiras) e 
BRF (10 carteiras). Para ana- 
listas, essas empresas po- 
dem apresentar bons resul- 
tados nos próximos meses 
com a alta do dólar, que fa- 
vorece suas exportações. 

Pós-fixados 

Para Mitsuko, aplicações 
mais conservadoras como a 
poupança e a LCA (Letra de 
Crédito do Agronegócio) do 
Tesouro podem ganhar força. 
A alta da taxa básica de juros 
favorece os investimentos de 
renda fixa pós-fixados, que 
acompanham a Selic. 

"Quem investiu no CDI 
[taxa que acompanha de 
perto a Selic] deixou de per- 
der", acrescenta Curvello. 
Para ele, existe boas opções 
de CDI no mercado, de títu- 
los LCA e LCI (Letra de Cré- 
dito Imobiliário). ® metro 



RENDIMENTO (em%) 




ÍULH0 1 


1 ANO 


0 


( 

0,05 


1 3,2 


Ouro (BM&F Bovespa) 




^| 9,73 -11,42 | 




Fundos de ações livres 




| 2,09 -3,94 1 




Fundo cambial 




| 1,24 


■ 10,63 


1 bovespa 




| 1,64 -20,86 | 




Fundos de renda fixa 




0,83 


| 3,48 


Fundos referenciados Dl 




0,69 


| 4,18 


Poupança antiga 




0,52 


|3,57 


Poupança nova 




0,48 


| 3,04 


TESOURO (em%) 




Í11LH0 1 


| ANO 


LTN 

(VENCIMENTO EM 01/01/2016)* 


u 


i 

| 0,97 "0,47 


J 


NTN-F 

(VENCIMENTO EM 01/01/2014)* 




0,79 


| 3,38 


NTN-F 

(VENCIMENTO EM 01/01/2017)* 




0,79 


| 3,38 


LTN 

(VENCIMENTO EM 01/01/2014)* 




0,78 


| 3,34 


LFT 

(VENCIMENTO EM 07/03/2014)* 




0,72 


|4,27 


LFT 

(VENCIMENTO EM 07/03/2014)* 




0,69 


|4,27 


NTN-B Principal 

(VENCIMENTO EM 15/05/2015)* 




0,31 


| 0,72 


NTN-B 

(VENCIMENTO EM 15/05/2015)* 




0,30 


| 0,90 



AÇÕES MAIS RECOMENDADAS POR CORRETORAS EM AGOSTO 



EMPRESA PAPEL Número c 



Vale 


VALE5 




BRF 


BRFS3 




Itaú Unibanco 


ITUB4 




Ultra par 


UGPA3 




Kroton 


HR0T3 




Gerdau 


GGBR4 




Suzano 


SUZB5 


■■■15 


BB Seguridade 


BBSE3 


^■5 


Pão de Açúcar 


PCAR4 


■■■15 


Ambev 


AMBV4 


^■5 


Petrobras 


PETR4 


^■5 



a 



País tem a internet mais cara 







1 




1 


Plano no Brasil custa mais que a 


média da AL i joão brito/folhapress 



O Brasil é dono da banda 
larga móvel mais cara da 
América Latina, superando 
com folga países vizinhos 
como Chile e Argentina, se- 
gundo estudo da GSMA (As- 
sociação Mundial de Telefo- 
nia Móvel) em 16 locais. 



Custando em torno de 
US$ 32 (R$ 73,80) mais do 
que o dobro da média na re- 
gião, de US$ 15,60 (R$ 36), 
os planos para modems 
com franquia de pelo me- 
nos 1 Gigabyte (GB) são os 
mais caros da região. O país 



também é campeão de pre- 
ço em pacotes de banda lar- 
ga para celulares com fran- 
quia de pelo menos 1 GB, 
com preços de US$ 24,70 
(R$ 57), enquanto a média 
na região é de US$ 14,44 (R$ 
33,20). ® METRO 



CURITIBA, SEGUNDA-FEIRA, 5 DE AGOSTO DE 2013 
www.readmetro.com 



MUNDO 



09 



Irã. Em discurso de posse, 
presidente critica sanções 



O novo presidente do Irã, 
Hassan Rouhani, fez on- 
tem seu juramento diante 
do Parlamento em Teerã, 
que foi seguido de discur- 
so no qual criticou as san- 
ções que o Irã é alvo das Na- 
ções Unidas, EUA e União 
Europeia por causa de seu 
programa nuclear. Consi- 
derado relativamente mo- 
derado, Rouhani fez de seu 
discurso de posse um cha- 
mado para o diálogo com 
a comunidade internacio- 
nal, prometendo aos irania- 
nos que seu governo será 
marcado pela "sabedoria e 
esperança". 

"Se vocês [a comunida- 
de internacional] querem 
a resposta certa, não fa- 
lem com o Irã na língua das 
sanções, mas na língua do 
respeito", afirmou o novo 
presidente. 

Em resposta ao discurso 
de posse de Rouhani, o go- 
verno dos EUA declarou es- 
tar preparado para conver- 
sar com o novo presidente 
do Irã sobre seu programa 
nuclear desde que o país es- 



Partidários de Hassan Rohani em 

Teraãi SINA SHIRI/REUTERS/FARS NEWS 



teja verdadeiramente dis- 
posto a negociar. 

"A posse do presiden- 
te Rouhani apresenta uma 
oportunidade para o Irã agir 
rapidamente de forma a re- 
duzir a profunda preocupa- 
ção que a comunidade in- 
ternacional tem quanto ao 
programa nuclear irania- 
no", afirmou Jay Carney, 
porta-voz da Casa Branca, 
em um comunicado. © metro 



EUA fecham 
embaixadas em 
países árabes 

Ameaça terrorista. Mensagem de líderes da Ai Qaeda continha 
piano de ataque. Estados Unidos não seriam o único aivo ; diz generai 



Uma mensagem trocada 
entre membros do alto 
comando da Al Qaeda fez 
os Estados Unidos fecha- 
rem ontem 22 embaixadas 
e consulados americanos 
em todo o Oriente Médio e 
no norte da África. A carta 
teria sido interceptada pe- 
lo serviço de inteligência 
dos EUA. 

Segundo informações da 
"CNN", a mensagem conti- 
nha planos de ataques que, 
combinados com o término 
do mês sagrado do Ramadã 
e com a fuga massiva de de- 
tentos na região, contribuí- 
ram para a decisão de fe- 
char as sedes diplomáticas. 



O chefe do Estado-Maior 
Conjunto das forças arma- 
das dos EUA, general Mar- 
tin Dempsey, disse à rede 
"ABC" que o alvo do ataque 
não foi especificado, mas 
o objetivo era claro. "A in- 
tenção é atacar interesses 
do Ocidente, e não só dos 
EUA", acrescentou. 

Os EUA estenderam o fe- 
chamento de algumas em- 
baixadas e consulados até 
10 de agosto, informou on- 
tem o Departamento de Es- 
tado. Um número adicional 
de representações será sub- 
metido à mesma medida 
preventiva, enquanto ou- 
tras serão reabertas hoje. 



Ao todo, 19 embaixa- 
das e consulados permane- 
cem fechados até sábado: 
em Abu Dhabi, Amã, Cai- 
ro, Riyadh, Dhahran, Jed- 
dah, Doha, Dubai, Kuwait, 
Manama, Muscat, Sanaa, 
Tripoli, Antananarivo, Bu- 
jumbura, Djibouti, Cartum, 
Kigali, e Port Louis. 

Representações em Dha- 
ka, Argel, Nouakchott, Ca- 
bul, Herat, Mazar el Sharif, 
Bagdá, Basra e Erbil abrirão 
na segunda-feira. O gover- 
no americano emitiu um 
alerta de segurança sobre 
viagens internacionais váli- 
do para todo o mês de agos- 
to. © METRO 



Vaticano. 'Parece 
o Rio de Janeiro', 
afirma papa ao 
ver jovens 

O papa Francisco lembrou 
ontem a recém-encerra- 
da Jornada Mundial da Ju- 
ventude do Rio de Janeiro 
e convidou os jovens a bus- 
carem Jesus para combater 
o "veneno do vazio que se 
insinua em nossas socieda- 
des baseadas no proveito e 
no possuir" que os iludem 
"com o consumismo". O pa- 
pa fez o apelo na tradicio- 
nal reza do Ângelus domi- 
nical perante os vários fiéis 
que foram à Praça de São Pe- 
dro no Vaticano. 

O papa agradeceu pelo es- 
forço de todos os que atua- 
ram na Jornada Mundial da 
Juventude e em sua organiza- 
ção e, em um trecho impro- 
visado de seu discurso, disse 
que não esquece a "calorosa" 
acolhida que recebeu no Bra- 
sil, "um povo generoso", de 
"grande coração" e de "boas 
pessoas". Ao final, vendo um 
grande número de jovens na 
praça, o papa Francisco ex- 
clamou: "parece o Rio de Ja- 
neiro!". ©METRO 



DIÂGEO* 





Ho final da COItipra, 

o Condor é sempre 

mais barato. 



Éã írSrtFfl * llflWJOU «ti M4WU ÚUmtmà M nluqwi. 



DÊ WHISKY NO DIA DOS PAIS. 

MAíS DO QUE UM PRESENTE 

\JM MOMENTO PARA BRINDAR JUNTOS. 








CURITIBA, SEGUNDA-FEIRA, 5 DE AGOSTO DE 2013 
www.readmetro.com 



Se jogue na festa do 

THRONES 



Festa temática. Se você e seus amigos adoram 
a série, dê um jantar com cenário, comidas, 
figurino e trilha sonora inspirados na disputa 
peio trono de ferro. Livro traz receitas da saga 



As pessoas pensam que comi- 
da medieval tem de ser horroro- 
sa, mas receitas que parecem es- 
tranhas, como a torta sangue de 
dothraki e a galinha com mel, fi- 
cam deliciosas quando prontas. 

É isso que garantem Sariann 
Lehrer e Chelsea Monroe-Cas- 
sel, autoras do livro "A Feast of 
Ice and Fire, the official 'Game 
of Thrones cookbook" (Uma 
Festa de Gelo e de Fogo, o li- 
vro de receitas oficial do Game 
of Thrones, em tradução livre), 
sem previsão de publicação em 
português. E foram elas que su- 
geriram ao Metro a preparação 
desse jantar temático. 

O ambiente 

Rico, romântico e grandioso. 
Pode ser difícil transformar um 
apartamento em algo seme- 
lhante a um castelo, mas tente 
encontrar um brocado ou um 
veludo, pode ser no comércio 



de rua. Dobre o tecido ao meio 
e amarre cada lado da porta 
usando um cordão dourado, pa- 
ra fazer uma entrada suntuosa, 
e distribua muitas velas na sala. 

Etiqueta à mesa 

Lamber os dedos pode! Há algo 
incrível em vestir uma capa e se 
sentar à mesa para comer fran- 
go com as mãos, à luz de velas. 
Se você abolir os garfos, deixan- 
do apenas as facas e os guarda- 
napos, seus convidados terão 
que aderir, e vão adorar. 

A única etapa que deve ser 
reservada para mais tarde é a 
sobremesa. Sirva quando os 
seus convidados já estiverem 
acomodados para ver um espe- 
táculo no lounge. Por último, 
cuidado para não matar seus 
convidados de sede. Tenha cer- 
teza de que você tem vinho tin- 
to suficiente para a noite toda. 

: METRO INTERNACIONAL 



O Convite 

Em uma época em que as pessoas só 
mandam convites pelo Facebook ou 
por torpedos, um convite em papel 
é incrivelmente importante. 
E mais, ter algo misterioso entregue 
na sua porta é muito melhor do que 
notificações on-line. 

Dress Code 

Peça para que todos vistam capas (ou 
um casaco grande). Se você não tem 
uma, dobre uma camisa velha em volta 
dos seus ombros e use um broche para 
prendê-la ao redor do seu pescoço. 

A Música 

"The Bear and the Maiden Fair", foi 
escrita pelo autor de Game of Thrones, 
George R.R. Martin. Mas, caso ela 
não esteja disponível no momento 
da sua festa (ela poderá ser ouvida 
num episódio da terceira temporada), 
recomendamos que você tenha o 
último álbum 
do 'MS ME', 
"Heaven in 
Whenever". 



Ok 




JORNALISMO DE 

CREDIBILIDADE 




SEGASEX 



íwwHfcji* h-rt Dn barita 





CURITIBA, SEGUNDA-FEIRA, 5 DE AGOSTO DE 2013 
www.readmetro.com 



CULTURA 11 



CULTURA 




Cinema 



Caixa Cultural faz 
mais um 'Teste 
de Audiência 1 

A Caixa Cultural (R. Cons. 
Laurindo, 280) apresen- 
ta amanhã, às 20h, mais 
uma sessão do projeto ci- 
nematográfico "Teste de 
Audiência". Idealizado pe- 
los cineastas Márcio Curi 
e Renato Barbieri, o proje- 
to traz todos os meses um 
filme nacional, ainda em 
processo de finalização, 
apresentado gratuitamen- 
te em sessão surpresa. 

© METRO CURITIBA 



Rádio Clube FM 



Festival 
Sertanejo 2013 
abre inscrições 

Estão abertas as inscrições 
para o Festival Sertanejo 
2013 da rádio Clube FM. 
Os candidatos podem en- 
viar até 18 de agosto seus 
vídeos pelo site www.ofes- 
tivalsertanejo.com.br, com 
a apresentação de uma 
música sertaneja de livre 
escolha. Os mais votados 
pelo público passam por 
audições eliminatórias, 
que vão definir os vence- 
dores na festa de encerra- 
mento. ® METRO CURITIBA 



Caminhada em 
busca do passado 

Literatura. Romance de Roberto Nicolato, jornalista mineiro radicado em Curitiba, 
conta a história de um homem em busca do passado e de sua própria identidade 



Radicado em Curitiba há 25 
anos, mestre e doutor em 
Estudos Literários pela UFPR 
(Universidade Federal do Pa- 
raná), o jornalista e profes- 
sor mineiro Roberto Nicola- 
to estreia na literatura com 
o romance "A Caminhada ou 
O homem sem passado" (Ed. 
Blanche, 109 págs.). 

O livro conta a história de 
Júlio Sabóia, um professor 
que vai em busca de sua pró- 
pria identidade, numa via- 
gem pelos locais sagrados da 
Bolívia e do Peru, entre eles 
o sítio arqueológico de Tia- 
huanaco e Machu Picchu. 

A aventura começa quan- 
do o protagonista deixa sua 
cidade com amnésia, levan- 
do consigo apenas um mapa 
com o trajeto a ser percorri- 
do. Em solo boliviano, Júlio 
se encontra com Lídia, uma 
mulher misteriosa que car- 
rega uma paixão obsessiva 
por ele, e Daniel, um estu- 
dante de arqueologia. 

Ao longo do trajeto, Lídia 
será um elo importante do 



"Roberto Nicolato está 
aqui não para enredar, 
mas para esgarçar o 
sentido da palavra 
viagem. Cruza abismos da 
ficção e da imaginação/ 1 

PREFÁCIO DO JORNALISTA E PROFESSOR 
JOSÉ CARLOS FERNANDES 

protagonista para com seu 
passado, já que ela carrega 
cartas, fotografias e obje- 
tos pessoas da infância e ju- 
ventude de Júlio. Ao mesmo 
tempo em que resgata sua 
história, ele se torna refém 
dos desejos de Lídia. 

Marcado pela intertextua- 
lidade e com uma narrativa 
em primeira pessoa que se 
alterna entre diferentes es- 
paços temporais, o romance 
provoca no leitor algumas 
reflexões sobre a condição 
humana, os limites entre so- 
nho e realidade, as armadi- 
lhas da memória e o sentido 
de viver. © metro curitiba 




A Caminhada ou 0 homem sem passado" e o livro de estreia do autor i 



Camerata. 
Inscrições 
paracoralista 
vão até terça 

O Instituto Curitiba de Ar- 
te e Cultura recebe até ama- 
nhã inscrições para audições 
voltadas à formação de ca- 
dastro de músicos coralistas 
(substitutos e extras), desti- 
nados à Camerata Antiqua 
de Curitiba. O processo sele- 
tivo é para soprano, contral- 
to, tenor e barítono. A ficha 
de inscrição e os documen- 
tos exigidos para a partici- 
pação estão disponíveis no 
site www.icac.org.br. 

Os candidatos devem 
entregar todo o material - 
pelo Correios ou pessoal- 
mente, de segunda a sexta, 
das 9h às 17h30 - na Ca- 
pela Santa Maria (R. Cons. 
Laurindo, 273). 

A lista dos pré-selecio- 
nados será divulgada nesta 
quarta, passando para a pri- 
meira fase do processo sele- 
tivo, composto por audições 
na Capela Santa Maria, quin- 
ta e sexta, das 14h30 às 19h. 

@ METRO CURITIBA 



» mm 



"Lear" está em cartaz de quinta a domingo i divulgação 



Teatro Barracão EnCena. 
Clássico shakespeariano 
em cartaz até setembro 



Está em cartaz no Teatro Bar- 
racão EnCena (R. Treze de 
Maio, 160), com temporada 
até 8 de setembro, o espetá- 
culo "Lear". O projeto teatral 
é uma adaptação da trágica 
obra de William Shakespea- 
re, dirigida por Silvia Montei- 
ro e com sete atores no elen- 
co. As sessões acontecem de 
quinta a sábado, às 21h, e nos 
domingos, às 19h, com in- 
gressos a R$ 10 e R$ 20 (R$ 5 



nas quintas e domingos). 

Baseado no clássico sha- 
kesperiano, a peça traz a his- 
tória do Rei Lear, que está 
pronto para entregar o reino 
para suas três filhas, plane- 
jando deixar a maior parte 
para a filha que o ama mais. 

Mas a arrogância de Lear 
o leva a cometer um erro 
terrível, e lançar o reino em 
um inferno de traição e atos 
brutais. ® metro curitiba 



Artes plásticas. Centro 
Juvenil completa 60 anos 
com exposição especial 



O CJAP (Centro Juvenil de Ar- 
tes Plásticas), unidade do Go- 
verno do Estado, inaugura 
amanhã a exposição "Primei- 
ros Traços", em comemora- 
ção aos 60 anos de existência 
do espaço. A mostra apresen- 
ta pinturas das primeiras tur- 
mas formadas no CJAP e traz 
um repertório vasto de temá- 
ticas em seu acervo histórico. 

O centro foi criado em 
1953 pelo artista plástico e 
professor Guido Viaro, dan- 



do início à trajetória da ar- 
te-educação no Paraná. Em 
seis décadas, nomes como 
Carlos Eduardo Zimmer- 
mann, Eliane Prolik, Francis- 
co Faria, Iza Figueredo, Jaci- 
ra Grácia Pereira e Lina Iara 
Otto passaram pelo espaço. 

® METRO CURITIBA 

No CJAP (R. Mateus Leme, 56) 
Exposição até 13/9» de segunda 
a sexta, das 8I130 às i8h. Grátis 
www.cjap.seec.pr.gov.br 




Astro vai 
voltará 
Broadway 

Durante a première de 
lançamento do filme 
"2 Guns", o ator afirmou 
que vai voltar a atuar 
na Broadway, na nova 
adaptação de "A Raisin 
in the Sun", de Lorraine 
Hansberry. Washington 
ganhou o Premio Tony 
de melhor ator em 2010, 
ao interpretar Troy 
Maxson em "Fences". 



metrí 



12 



CULTURA 



CURITIBA, SEGUNDA-FEIRA, 5 DE AGOSTO DE 2013 
www.readmetro.com 



Música. Sensação 
do momento na 
Inglaterra, Savages 
iança o primeiro 
disco e destoa da 
cena contemporânea 
com suas letras 
engajadas 

O Savages é uma banda de 
quatro mulheres de Lon- 
dres, cujo ataque direto 
em todas as músicas é tão 
cruel e emocionante como 
o seu nome indica [em tra- 
dução Selvagens]. Gemma 
Thompson toca guitarra co- 
mo se fosse a filha adoles- 
cente louca para fugir de ca- 
sa. Sim, ela aprendeu muito 
com seu pai, mas ainda se 
rebela contra ele, com seus 
sons abrasivos e, ocasional- 
mente, atonais, do instru- 
mento. A cantora Jehnny 
Beth tem um inconfundível 
uivo de raiva, intercalados 
por espécies de convulsões 
coreografadas com as bati- 
das da bateria de Fay Milto, 
que se entrega com as ba- 
quetas. Quem mantém todo 
o caos sob controle é a bai- 
xista Ayse Hassan, que fe- 
cha os olhos e deixa o grave 
das cordas ressonar. 

A banda recentemen- 
te lançou o álbum "Silen- 
ce Yourself", um manifesto 
musical firme sobre políti- 
cas sexuais e a distopia do 
futuro. Nas letras, há um 
sentimento inquietante, 
uma abordagem que invo- 
ca medo do caminho que 
a humanidade está se diri- 
gindo. "O medo é uma das 
principais características 



Selvageria 
musical 



JEHNNY BETH, CANTORA 




"Compomos pensando no elemento 
físico do som, nas emoções que 
estão sendo criadas. 11 




Jehnny Beth durante apresentação em Los Angeles, na semana passada i mikewindle/gettyimages 



do comportamento huma- 
no e, aprender a controlá- 
-lo, é um primeiro passo 
para a emancipação. Quan- 
do começamos o Savages, 
Gemma e eu estávamos fa- 
lando sobre a tentativa de 
encontrar uma representa- 
ção sonora de ideias distópi- 
cas sobre a humanidade. É 
por isso que as canções fo- 
ram escritas dentro do con- 
ceito de uma performan- 
ce. Estávamos pensando no 
elemento físico do som. As 



emoções que estão sendo 
criadas", diz Jhenny. 

Mesmo com temática 
densa, Jhenny afirma que 
seu método de composição 
tende para um lado mais 
solto e despojado, sem gran- 
des malabarismos. "Senti- 
mos isso como um proces- 
so darwinista. Se uma ideia 
não é forte o suficiente, sim- 
plesmente ela não vai sobre- 
viver", explica. 

Parte da compreensão 
das letras do Savage pode 



ser entendida a partir do 
texto na capa do álbum, ela- 
borado pela cantora/letris- 
ta. "Falo de um sentimen- 
to geral de auto-dispersão, 
que acho comum a todos, 
inclusive a mim. Penso que 
é uma ideia errada e redu- 
tora este texto ter um único 
significado. A minha inten- 
ção era apresentá-lo de uma 
maneira poética e aber- 
to para que as pessoas in- 
terpretassem como quises- 
sem", explica. 




Formada há cerca de 
dois anos, o Savages já con- 
quistou grande público pe- 
lo mundo e, geralmente, 
recebe comparações com 
bandas que transitaram 
entre as décadas de 1970 
e 1980, como Joy Division, 
Siouxsie and the Banshees 
e Gang of Four. "Acho que 
há muito mais do que is- 
so. Tocamos em Amsterdã 
há alguns meses e Johnny 
Hostile abriu para nós. No 
final de seu set, Johnny dis- 



se para o público: 'Eu que- 
ro ver vocês se acabando no 
show dessas garotas'. E as- 
sim o fizeram, pulando e se 
jogando. Amei que ele dis- 
se isso e que vê nossa mú- 
sica por outro ângulo, em 
vez de comparações costu- 
meiras com Joy Division/ 
Siouxsie. Isso é muito mais 
inspirador." 

PAT 
HEALY 

METRO INTERNACIONAL 



Crime se paga com mais 
crime em 'Red Widow' 



Em "Red Widow", que es- 
treou ontem no AXN, Ra- 
dha Mitchell tem a opor- 
tunidade de viver um tipo 
de personagem que há 
tempos vinha procurando. 

"Marta Walraven é 
uma mulher que vive co- 
mo uma mãe tradicional 
e acaba abruptamente tra- 
gada para um mundo que 
tentou evitar a vida toda. 
Nesse processo, ela desco- 
bre fatos sobre si e talen- 
tos que não sabia ter", diz 
ao Metro Internacional. 

Ela se refere à prota- 
gonista da série, uma do- 
na de casa tradicional que 
se vê obrigada a assumir 
os negócios criminosos do 
marido após ele ser mor- 
to na frente de casa diante 
do caçula da família. 



Radha Mitchell 
e Goran Visnjic 
protagonizam 
a série do AXN 




O objetivo dela é encon- 
trar o assassino e honrar 
as dívidas perante o che- 
fão Nicholae Schiller (vivi- 
do por Goran Visnjic, o Lu- 
ka de "Plantão Médico" 

"Sempre me interes- 
sei pela protagonista de 
'La Femme Nikita', de Luc 
Besson, porque é sob pres- 
são que ela descobre to- 
das aquelas qualidades e 
forças em si. Era esse ti- 
po de personagem que 
sempre quis ex- pio- 
rar", completa. 




Show do Paramore agita o Master Hall 

Fenómeno musical, a banda norte-americana Paramore fez sua estreia em Curitiba na última 
sexta, com show de sua nova turnê no Master Hall. 0 trio apresentou os grandes sucessos e 
algumas faixas do disco 'Paramore', que vendeu 106 mil cópias na primeira semana nos Estados 
Unidos. Depois de Curitiba, o grupo fez show em Porto Alegre, na noite de ontem | AMANDA QUEIROZ 



CURITIBA, SEGUNDA-FEIRA, 5 DE AGOSTO DE 2013 
www.readmetro.com 



CULTURA 13 



Zé do Caixão 



Lançamento. Edição especial com nove 
DVDs celebra os 50 anos do personagem 
emblemático de José Mojica Marins 




AS LEMBRANÇAS 
DE MOJICA 



"Ele apareceu pra mim 
durante um pesadelo em 
1963. Sonhei que estava 
sendo arrastado para uma 
cova por um homem to- 
do de preto". José Mojica 
Marins, 77, não se cansa 
de contar como, em uma 
noite, surgiu-lhe o perso- 
nagem Zé do Caixão, um 
perfeito exemplo da fu- 
são entre criador e criatu- 
ra, que completa agora 50 
anos de sua primeira apari- 
ção no filme "À Meia-Noite 
Levarei sua Alma". 

Fumando um cigarro 
atrás do outro, Mojica con- 
versou com o Metro sobre o 
personagem, protagonista 
da "Coleção Zé do Caixão", 
caixa com nove dos princi- 
pais filmes lançados pelo 
cineasta que celebra meio 
século do coveiro macabro 
que tem como nome de ba- 
tismo Josefel Zanatas. 



Ele é o elo central de lon- 
gas como "Esta Noite En- 
carnarei no Teu Cadáver" 
(1967) e "Ritual dos Sádi- 
cos (O Despertar da Besta)" 
(1970). "Na época em que o 
criei esperava que fizesse 
sucesso, mas não tanto as- 
sim", recorda. 

Autor de 33 longas, 
quatro médias e cerca de 
70 curtas, Mojica partici- 
pa no fim do ano de uma 
turnê que vai passar pelo 
Acre e depois México e Te- 
xas, nos Estados Unidos. 
Nas ocasiões ele vai apre- 
sentar algumas de suas 
produções, além de ofe- 
recer workshops. "Quero 
percorrer o Brasil no ano 
que vem para passar mi- 
nha experiência a outros 
diretores", conta. 

Além disso, o cineasta 
planeja um museu do Zé 
do Caixão, mas ainda não 



sabe como nem onde deve 
montá-lo. 

No ritmo de celebra- 
ções do cinquentenário de 
seu primeiro sucesso, Mo- 
jica quer lançar também a 
versão definitiva de "A Pra- 
ga", gravado há cerca de 20 
anos e finalizado pelo ci- 
neasta Eugênio Puppo. 

Uma versão chegou a ser 
exibida em outubro de 2007 
em uma mostra realizada 
no Centro Cultural Banco 
do Brasil, mas, segundo Mo- 
jica, o filme precisava pas- 
sar por mudanças. "O Pup- 
po que está com o filme. 
Não sei porque ele não foi 
lançado ainda", comenta. 
Procurado pelo Metro, Pup- 
po não retornou o contato 
para falar sobre o assunto. 



À MEIA-NOITE LEVAREI 
SUA ALMA (1963) 
"0 pessoal me achava doi- 
do por fazer um filme com 
essa temática. Mexi com 
coisas como espiritismo e 
encruzilhada, além de mu- 
lheres nuas. Aí a Igreja veio 
em cima, né? Isso ajudou 
no sucesso do filme." 

ESTA NOITE 
ENCARNAREI NO TEU 
CADÁVER (1967) 
"Nas gravações, um ator 
morreu acidentalmente e 
o pessoal ficou ainda mais 
assustado comigo. Um jor- 
nal na França noticiou que 
eu matava meus atores, 
que era um assassino 
protegido pela ditadura. 
Mas era o contrário, 
poxa!" (risos) 



0 ESTRANHO 
MUNDO DE ZÉ 
DO CAIXÃO (1968) 
"É uma fita engraçada. 
Dá para ver que o cenário 
é de papelão, com uns re- 
mendos. No lançamento, 
quis chamar atenção e fa- 
zer uns vídeos em um ve- 
lório de verdade, usando 
pessoas como figurantes, 
sabe? Foi complicado." 



A ESTRANHA 
HOSPEDARIA DOS 
PRAZERES (1968) 
"Eu quis dar uma chan- 
ce na direção a um aluno 
[Marcelo Motta], mas 
ele se apaixonou por 
uma das atrizes e eles 
fugiram no meio da 
gravação. Tive que me 
virar para recompor quase 
dois terços da fita." 




FINIS HOMINIS (1971) 
"Nesse filme aproveitei 
uma procissão em Santa 
Isabel. Fui pedir autoriza- 
ção ao padre, mas 
ele recusou. Filmei assim 
mesmo, com a [atriz] Tere- 
sinha Sodré no meio dos 
fiéis. Tempos depois, per- 
ceberam que estávamos 
gravando, mas aí já era 
tarde." (risos) 



RITUAL DOS SÁDICOS 
(0 DESPERTAR DAS 
BESTAS) (1970) 
"Foi o filme com o qual 
tive mais pressão exter- 
na. Até o Esquadrão da 
Morte veio atrás de mim. 
Não consegui lançá-lo na 
época, o que foi uma pe- 
na. Seria um sucesso e 
muito polémico." 

INFERNO CARNAL 
(1977) 

"Nesse filme participam a 
Helena Ramos, Teresinha 
Sodré e ítala Nandi. E elas 
eram chatas pra caram- 
ba! Exigiam que eu filmas- 
se em horários marcados 
e que pagasse hora extra. 
Como posso parar de fil- 
mar na quentura de uma 



icena so porque passou um 
minuto do combinado? 



DELÍRIOS DE UM 
ANORMAL (1978) 
"É engraçado, porque re- 
uni todo esse material, 
juntei em um filme e a 
censura liberou. Eles libe- 
raram as mesmas cenas 
que cortaram anos an- 
tes! E ainda me aconse- 
lharam: 'é assim que você 
tem que fazer cinema.'" 

DEMÓNIOS E 
MARAVILHAS (1987) 
"A ideia era fazer um curta 
de, no máximo, 25 minutos. 
Mas, quando vi, era pratica- 
mente um longa. Levei qua- 
se dez anos para realizá-lo e 
consegui fazer coisas até fo- 
ra do contexto a que eu es- 
tava acostumado." 



ANDRE PORTO/METRO 



metn 



14 VARIEDADES 



CURITIBA, SEGUNDA-FEIRA, 5 DE AGOSTO DE 2013 
www.readmetro.com 



Agora é Tarde 



DANILO 
GENTILI 

DANILO.GENTILI/Â) METROJORNAL.COM.BR 




Tecnologia 

Um especialista britâni- 
co criou uma imagem no 
computador que simula a 
aparência do bebe real na 
adolescência, olha só: 




A coisa mais decepcionan- 
te nessa foto é saber que 
daqui 15 anos ainda vai ter 
gente usando a gola da ca- 
misa polo levantada. 

A equipe de especialis- 
tas do Agora é Tarde' fez 
uma outra simulação pra 
ver como vai ser o prínci- 
pe George ali pelos seus 
30 anos: 




Pílula 

Dia 31 de julho foi o dia 
mundial do orgasmo! 
E o dia seguinte foi o dia 
mundial do "e aí, tomou 
a pílula?". 

Pros homens é o dia mun- 
dial do orgasmo. Pra maio- 
ria das mulheres é o dia 
mundial da mentira. 
E parece que as come- 
morações esse ano estão 
"bombando". 
Eu não sei se o pessoal le- 
va essa data a sério ou se 
eles aceitam qualquer tipo 
de "gozação". 

Mais bebé 

Um bebé na Alemanha 
foi considerado o maior 
recém-nascido da his- 
tória! Ele nasceu com 
mais de 6 kg. Isso não é 
um recém-nascido, é um 
recém-obeso. 

E ele já nasceu quebrando 
não só o recorde, mas 
o berço também. 
Ele nasceu de parto nor- 
mal. E a mãe sobreviveu, 
hein! 

Televisão 

A MTV vai migrar para TV 
paga. O pessoal não assis- 
tia nem de graça, imagina 
pagando. 

Não basta perder no Ibo- 
pe pra Rede TV: agora eles 
querem perder também 
pro Canal do Boi. 
A audiência da MTV anda 
tão baixa que é mais fácil 
alguém reconhecer na rua 
a Aracy da TopTherm do 
que um VJ. 

Já que a MTV não vai aca- 
bar, ela tá abrindo concur- 
so pra novos VJs. Se você 
quer ser VJ, grave seu teste 
e envie. Pro ano de 97. 



Danilo Gentili é comediante stand-up e apresentador 
do "Agora é Tarde". 0 programa vai ao ar pela Band, 
de terça a sexta, a partir da meia-noite. 
Assista também em band.com.br/agoraetarde 



AÇORA 
^j© tarde 

O* UUO MUI iil 



Os invasores 



Leitor fala 




áJJUELEISIHfltt 
DOiMTMTlWi 

miam 




Cruzadas 



wwm DQquripj çcm br 
. ■_■ 










IN 








T 


A 








h 
















- 






TU 














i 










1 — 
















> 


ÍTpW-át 




T 




* 






T 














> 


T 














E 
























+■ 




T 




■ Mn 

«f 




H 
















""to" 
















— * 






* 








T 






*■ 





























PO ifwc— uvh — «wí m — me 



Sudoku 



1 1 a U Más vtrtcss t MniiúriLiis Sen rtprtlfii. 





4 






1 




R 




2 


9 










6 


7 






7 


















5 


6 








4 














3 








7 


8 












1 






8 






3 


7 










2 






6 






9 










£ 


_ 


C 


1 


t e 


r 




3 


1 


i 




;■«. 


í- t 


■■ 




f 


1- 


T 


| 


i 


■ ■■ 


. 


T 




V 


1 


C 


u 


r j 


5 


% 


i 


L 




t 




1 1 


V 


u 


t 


"í 


4 




"'1 


1. 1 


■■ 


1 


í 


r 


1 


L 




v u 




V 


L 




9 




t 


b 




■■ 


1 


E 


0 




'í 


1 E 


t 


r 


1 



ASSINE 

COQUETEL 




Ç) 



Táxis em Curitiba 2 

Sou taxista há 10 anos, e gostaria de dar 
uma resposta ao comentário do leitor 
Leonardo Silva na edição de 22/7. Concor- 
do com a falta de táxis nas centrais e o 
principal motivo desta é o rateio caro co- 
brado pelas mesmas que dizem ser asso- 
ciações sem fins lucrativos. As centrais 
têm, em média, 400 motoristas e cobram 
uma média de R$ 800 mensais de cada 
um. Faça as contas e veja quanto estas 
centrais arrecadam. Este valor de R$ 800 
não é tão fácil de ganhar, afinal os gastos 
não incluem apenas o rateio, mas ainda 
o combustível, manutenção e prestação 
do veículo, contas e gastos pessoais, 
e a troca do veículo a cada cinco anos. 

JOSÉ CARLOS - CURITIBA 

Reeleição 

Em 1997, ficamos sabendo que os ex-de- 
putados venderam seus votos a favor da 
reeleição de um 2 o mandato para Fernan- 
do Henrique Cardoso por R$ 200 mil ca- 
da. Nós, eleitores, estamos aguardando os 
nomes dos parlamentares que vão vender 
seus votos para mandar para o espaço a 
Emenda Constitucional n° 16 de 4/7/1997, 
para sepultar a candidatura de Dilma e 
viabilizar a de Lula em 2014. Alguém tem 
dúvidas de que a maioria dos parlamenta- 
res continua com fome de dinheiro? 

LEÔNIDAS MARQUES - VOLTA REDONDA (RJ) 



Metro Pergunta 



0 governo vai distribuir 
pílulas do dia seguinte 
para mulheres vítimas 
de estupro. Concorda 
com a medida? Porquê? 



V 



Siga o Metro 
no Twitter: 
@jornal_metroCTB 



@redamis 

Sim. A medida representa o niínimo de 
dignidade e respeito que devem ser dados 
às mulheres vítimas de violência sexual. 

@oakbarreldoug 

É impensável que existam alguns contra 
a medida. Vítimas de tal abuso necessi- 
tam de todo suporte, e isto é essencial. 




Para falar com a redação: 
leitor.ctb@metrojornal.com.br 



Participe também no Facebook: 
www.facebook.com/metrojornal 



T 

tf 

n 



Está escrito nas estrelas 

— ggufl 

AríeS (21/3 a 20/4) Mesmo que se sinta estranho diante das 
convivências, não deixe de lado sua autenticidade. Compense o 
estresse da rotina com mais lazer. 

Touro (21/4 a 20/5) Nos relacionamentos, procure ser pa- 
ciente com algumas manias e posturas convencionais das pes- 
soas com quem tem mais convivência. 

GêmeOS (21/5 a 20/6) Tendências para empenho a novos 
estudos e para dobrar a atenção aos que já se dedica. Dia im- 
portante para boas conversas em família. 

CânCGr (21/6 a 22/7) O momento é oportuno para refletir so- 
bre as coisas que são realmente úteis e aquelas que não têm a 
necessidade de manter-se apegado. 



HF 



LedO (23/7 a 22/8) A Lua em seu signo amplia sua populari- 
dade, bem como a integração com novos amigos e velhos co- 
nhecidos. Emoções estarão mais expostas. 

Virgem (23/8 a 22/9) Não se culpe se seus esforços para 
ajudar pessoas não tenham surtido efeito imediato. Há coisas 
que só as ações das pessoas resolvem. 

Libra (23/9 a 22/10) Momento especial para empenho a no- 
vos projetos. Uma integração maior com os amigos tende a ser 
mais intensa e tomar sua atenção. 

Escorpião (23/10 a 21/11) O envolvimento com assuntos do 
trabalho será marcado por mais responsabilidade, intensidade 
emocional e reconhecimento. 



tf 



m 



H 



www.estrelaguia.com.br 

Sagitário (22/ll a 21/12) Atente-se para não querer impor 
ideias de forma precipitada a outras pessoas, por mais coeren- 
tes e certas que sejam as suas. 

CapriCOmiO (22/12 a 20/1) Agir de maneira estratégi- 
ca e com sigilo diante de projetos profissionais e nos negócios 
será essencial para bons resultados. 

Aquário (21/1 a 19/2) Com a Lua em seu signo oposto, 
Leão, há mais tendências para ampliar convívios sociais. Período 
para mais demonstrações afetivas. 

Peixes (20/2 a 20/3) Momento propício para uma atenção 
extra com o corpo e a saúde. Nas relações, é uma boa hora para 
surpreender com gestos simples. 



CURITIBA, SEGUNDA-FEIRA, 5 DE AGOSTO DE 2013 
www.readmetro.com 



ESPORTE 15 



Contagem regressiva 

Olimpíadas. A exatos três anos da abertura das Olimpíadas, Rio começa a sentir a pressão da corrida contra o relógio 



O Rio de Janeiro inicia hoje a 
contagem regressiva de três 
anos para a abertura oficial da 
Olimpíada de 2016, no Mara- 
canã, que será palco também 
da cerimonia de encerramen- 
to das disputas, no dia 21 de 
agosto. Os Jogos Paralímpicos 
serão realizados logo depois, 
entre os dias 7 e 18 de setem- 
bro. Esta será a primeira olim- 
píada em terras sul-america- 
nas da história. 

A cidade já começa a sen- 
tir a pressão da corrida con- 
tra o relógio. Embora boa 
parte da estrutura de mobili- 
dade urbana feita para a Co- 
pa do Mundo do ano que vem 
vá também servir para os Jo- 
gos de 2016, ainda há muito 
a ser feito. 

Atraso 

O prefeito Eduardo Paes, ad- 
mite que o Complexo Olím- 
pico de Deodoro, maior obra 
a ser feita para os Jogos, está 
atrasado e confirma o início 
da construção para janeiro 
de 2014. Segundo o TCU (Tri- 
bunal de Contas da União), 
o cronograma está 15 meses 
atrasado. "O atraso não che- 
ga a tudo isso. Vai dar tempo", 
garante Eduardo Paes, que 




anunciou que as obras serão 
arcadas pela prefeitura a par- 
tir de agora, e não mais pelo 
caixa do Estado. 

O Complexo Esportivo de 
Deodoro abrigará as modali- 
dades de hipismo, tiro, esgri- 
ma, pentatlo moderno, ca- 
noagem, ciclismo e hóquei 
sobre grama. O Rio ainda pre- 
cisa se preparar com obras na 
estrutura viária e de transpor- 
tes, como corredores de ôni- 



"São instalações mais 
simples e outras que 
levam de um a dois anos 
para ficar prontas. Vai 
dar tempo de fazer tudo" 

EDUARDO PAES, PREFEITO DO RIO 

bus, metros e trens. Há ainda 
obras na região portuária da 
cidade, além da construção de 



instalações esportivas e cen- 
tros de treinamento por fazer. 

Os custos da Olimpíada se- 
guem sendo uma incógnita. O 
valor estimado deveria ter si- 
do anunciado sexta-feira, na 
coletiva do Comité Rio-2016 e 
do COI (Comité Olímpico In- 
ternacional) mas, mais uma 
vez, as entidades adiaram o 
anúncio e disseram que o va- 
lor só será revelado no fim do 

ano. METRO RIO 



Engenhão 



Cadeiras e 
pistas serão 
reformadas 

O Estádio de Atletismo 
Célio de Barros será man- 
tido no Complexo do Ma- 
racanã, mas ele não serve 
para receber as provas da 
Olimpíada, segundo os 
padrões do COI (Comité 
Olímpico Internacional). 

A prefeitura anunciou 
que as obras de substitui- 
ção das pistas principal 
e de aquecimento do En- 
genhão começarão em 
2015, bem como a insta- 
lação das 15 mil cadeiras 
que faltam para se chegar 
à capacidade de 60 mil 
exigida pelo Comité. 

O estádio está inter- 
ditado desde o dia 26 de 
março para as obras de 
recuperação da cobertura 
e será aberto para os jo- 
gos dos times cariocas no 
Campeonato Brasileiro 
de 2014, em maio do ano 
que vem. ® metro rio 



ESPORTE 





Indy. Kimball brilha e 
Castroneves segue líder 



O americano Charlie Kim- 
ball foi o grande nome da 
etapa de Mid-Ohio da Fór- 
mula Indy. Menos conheci- 
do do que seus companhei- 
ros de time Scott Dixon e 
Dario Franchitti, o terceiro 
piloto da Chip Ganassi bri- 
lhou no circuito de Lexing- 
ton, nos Estados Unidos, e 
chegou à primeira vitória 
na carreira com uma ultra- 
passagem sobre Simon Pa- 
genaud nas últimas voltas. 
Franchitti completou o pó- 
dio da prova. 

O brasileiro Hélio Cas- 
troneves, da Penske, ter- 



minou a corrida na 6 a colo- 
cação. O resultado deixou 
o piloto na liderança com 
453 pontos, 31 a mais do 
que o segundo colocado 
Scott Dixon. 

Outro brasileiro da 
Indy, Tony Kanaan, da KV 
Racing, teve de abandonar 
a prova por causa de pro- 
blemas mecânicos a 24 vol- 
tas do fim da corrida. Ele 
ocupa o 10° lugar na clas- 
sificação com 313 pontos. 

A próxima parada da ca- 
tegoria será em Sonoma, 
na Califórnia, no próximo 
dia 25. ® metro 




Kimball vence pela 1- vez na temporada i kevin c. cox/getty images 




Vôlei. Brasil põe fim à 
invencibilidade dos EUA 



A Seleção Brasileira femini- 
na de vôlei encerrou, ontem, 
a invencibilidade de 18 jogos 
dos Estados Unidos no Grand 
Prix. O Brasil venceu, de vi- 
rada, as atuais tricampeãs da 
competição, por 3 sets a 1 
(17/25, 25/23, 25/18 e 25/20), 
em lh52 de jogo, na Arena 
Amil, em Campinas (SP). 

Com o resultado, as brasi- 
leiras mantiveram a invenci- 
bilidade no ano. Foram 15 jo- 
gos, 15 vitórias e os títulos dos 
torneios de Montreux e Alas- 
sio. No Grand Prix, além dos 
EUA, o time verde e amarelo 
venceu a Polónia, na última 



sexta-feira, por 3 sets a 1, e a 
Rússia, no sábado, por 3 a 2. 

O Brasil voltará às quadras 
na próxima semana pelo Gru- 
po G do Grand Prix. Em Porto 
Rico, de sexta-feira a domin- 
go, as brasileiras terão como 
adversárias Bulgária, Repúbli- 
ca Dominicana e as anfitriãs. 

As ponteiras Gabi e Fer- 
nanda Garay foram as maio- 
res pontuadoras do Brasil, 
com 14 pontos cada. A central 
Juciely também teve uma boa 
atuação, com 12 acertos. A 
ponteira norte-americana Hill 
fez 16 e foi a maior pontuado- 
ra do duelo, ©metro 



Natação. País 
conquista 
10 medalhas 

O Brasil encerrou ontem a 
participação no Mundial de 
Esportes Aquáticos, em Bar- 
celona, com 10 medalhas - 
melhor participação em nú- 
mero de pódios na história 
da competição. 

Thiago Pereira conquis- 
tou a medalha de bronze nos 
400m medley, prova disputa- 
da devido a insistência de seu 
técnico Alberto Silva. Ele tam- 
bém tinha sido o terceiro co- 
locado nos 200m medley. "Va- 
leu demais. O que mais me 
surpreendeu foram os meus 
últimos lOOm, principalmen- 
te os últimos 50m", destacou. 

No sábado, Cesar Cielo 
conquistou o tricampeona- 
to nos 50m livre - ele tam- 
bém venceu os 50m borbo- 
leta. O outro ouro brasileiro 
no mundial foi de Poliana 
Okimoto nos lOKm da ma- 
ratona aquática. 

O país ficou na 8 a coloca- 
ção no quadro de medalhas. 
Em 2011, o Brasil terminou 
em 4 o , com quatro medalhas 
de ouro. A próxima edição do 
Mundial será em 2015, em 
Kazan, na Rússia. ® metro poa 





José Aldo derrotou Chan 
Sung Jung, o Zumbi 
Coreano, por nocaute, 
no quarto assalto e se 
manteve como único 
representante brasileiro 
campeão no UFC. 
Ele defendeu pela 
quinta vez o cinturão dos 
penas e chegou à 16 3 
vitória seguida - está 
invicto desde 2006. "Vi 
que o ombro dele saiu do 
lugar e busquei derrubar 
para finalizar a luta", 
disse José Aldo. 



metn 



16 ESPORTE 



CURITIBA, SEGUNDA-FEIRA, 5 DE AGOSTO DE 2013 
www.readmetro.com 




10 DE JULHO 



V 1 x 2 H 



SAO PAULO 



BAHIA 



SÁBADO 

CRUZEIRO CORITIBA 




ONTEM 



FLAMENGO 



3xQ ▼ 



ATLETICO-MG 





1 x 1 

GRÉMIO INTERNACIONAL 

1 x 1 

PONTE PRETA FLUMINENSE 



CRICIÚMA E.C. 

CRICIÚMA 



m 



0 x 2 




CORINTHIANS 



2x0© 



ATLETICO-PR 



GOIÁS 



9 2 x 3 



VASCO 



BOTAFOGO 

2xl $ 

VITÓRIA PORTUGUESA 



A DEFINIR 



SANTOS 



NÁUTICO 





CLASSIFICAÇÃO 








SERIE A 












P 


V GPSG 




BOTAFOGO 


23 


7 


18 


8 




CRUZEIRO 


21 


6 


23 


14 




CORITIBA 


20 


5 


17 


5 


m 


INTER 


19 


5 


19 


3 


5 o - 


BAHIA 


19 


5 


13 


3 


6 o - 


VITÓRIA 


18 


5 


16 


4 


1°- 


CORINTHIANS 


17 


4 


10 


5 


S°- 


ATLÉTICO-PR 


16 


4 


20 


2 


99 


GRÉMIO 


16 


4 


12 


1 


109 


VASCO 


14 


4 


17 


-4 


119 


FLUMINENSE 


13 


4 


14 


-2 


129 


FLAMENGO 


13 


3 


12 


0 


139 


GOIÁS 


13 


3 


9 


-6 


149 


SANTOS 


12 


3 


12 


2 


159 


PONTE PRETA 


11 


3 


13 


-3 


169 


CRICIÚMA 


11 


3 


13 


-7 


179 


ATLÉTICO-MG 


10 


3 


9 


-7 


189 


SÃO PAULO 


9 


2 


11 


-3 


199 


PORTUGUESA 


8 


1 


12 


-6 


209 


NÁUTICO 


7 


2 


7 


-9 


1 Classificados para a Libertadores 
Rebaixados para a Série B 



Atlético vence a 1* como 
mandante no Brasileirão 



Embalado. Furacão bateu o Goiás por 2 a o e conquistou a terceira 
vitória consecutiva. Resultado já deixa o time próximo ao G-4 



O Atlético continua embalado 
no Brasileirão. Ontem à tarde, 
o Furacão venceu o Goiás por 
2 a 0 na Vila Capanema e con- 
quistou a primeira vitória co- 
mo mandante na competição 
e a terceira consecutiva. O re- 
sultado fez o time subir para 
a 8 a posição, com 16 pontos. 

Se antes o Furacão luta- 
va para fugir da zona de re- 
baixamento, agora já está a 3 
pontos do grupo dos quatro 
primeiros colocados. Na pró- 
xima rodada, o time volta a 
jogar em casa, contra o Bahia, 
na quarta-feira, às 21h. 

O jogo 

O primeiro tempo foi mo- 
vimento com as duas equi- 
pes partindo para o ataque. 
Quem começou levando peri- 
go foi o Goiás, que explorava 
os contra-ataques com Tartá. 
Foram pelo menos três chan- 
ces perdidas. 



Série D 



J.Malucellivenceo 
Metropolitano/SC 

0 J.Malucelli venceu o 
Metropolitano-SC por 3 a 

1 no Ecoestádio ontem à 
tarde, pela sétima rodada 
do Grupo A8 do Campeo- 
nato Brasileiro da Série D. 

O primeiro gol foi 
marcado pelo Jotinha, 
com Andrezinho aos 
4' do primeiro tempo. 
Dois minutos depois, Jo- 
nes empatou. No segun- 
do tempo, ao 26', Bru- 
no Batata colocou o time 
paranaense novamente 
à frente do placar aos e, 
nos acréscimos, Getter- 
son ampliou a vantagem 
e fechou o placar. 

Foi a primeira vitória 
do Jotinha na competi- 
ção. Na próxima rodada, 
o time folga e volta a jo- 
gar no dia 18 de agosto, 
contra o Londrina, no es- 
tádio do Café. 

@ METRO CURITIBA 

GERALDO BUBNIAK / FOTO ARE NA 




Já o Atlético teve a primei- 
ra boa oportunidade com 
Everton, aos 16', em um chu- 
te de fora da área. Marcelo 
também quase marcou aos 
36', em um toque por cima 
do goleiro Renan. Ele tam- 
bém segurou uma cabeçada 
do zagueiro Manoel que por 
pouco não entrou. O primei- 
ro gol saiu aos 43' com Della- 
torre, que aproveitou um cru- 
zamento de Ederson. 

Na segunda etapa, o Fura- 



cão continuou jogando de for- 
ma ofensiva. Aos 14', Everton 
recebeu dentro da área, mas 
finalizou fraco. O Goiás ten- 
tou pressionar, mas sem su- 
cesso. O Atlético ainda am- 
pliou o placar no final. Em 
um contra-ataque, Éderson 
marcou no rebote, depois da 
finalização de Zezinho. 



£1 



UNA 
HAMDAR 

METRO CURITIBA 



2 0 


ATLÉTICO Weverton; Léo, Manoel, 
Luiz Alberto e Pedro 
Botelho; Bruno Silva, Palau (Zezinho), Everton e Paulo 
Baier (Elias); Marcelo e Dellatorre (Éderson). 
Técnico: Vagner Mancini 


om 


fOIÁC Renan; Clayton, Valmir 
UUII ° Lucas, Ernando e William; 

Dudu Cearense (Caio), 

Amaral, Hugo e Renan Oliveira (Neto Baiano); 

Walter e Tartá (Ramon). Técnico: Enderson Moreira 


• Gois. Dellatorre, aos 43' do l g ; T e Éderson, aos 45' do 2^ T 

• Arbitragem. Luiz Flávio de Oliveira (SP), auxiliado por Márcio 
Eustáquio e Katiuscia Berger Mendonça (ES). 




Machucados. Keirrison 
e Bill serão reavaliados 
durante esta semana 



Os atacantes do Coritiba Bill 
e Keirrison, que saíram le- 
sionados da partida contra 
o Cruzeiro, no sábado à noi- 
te, serão reavaliados pelo 
departamento médico du- 
rante a semana para saber a 
gravidade das lesões. 

Bill sentiu uma lesão 
muscular ainda no primei- 
ro tempo e foi substituído 
por Keirrison, que se cho- 
cou com a trave e saiu com 
dores no joelho. "Estou 
sentindo bastante dor, mas 
não parece ser nada grave. 
Espero me recuperar rapi- 
damente para ficar à dis- 
posição contra o Grémio", 
disse o Kl 9, pelo Facebook. 



O jogo é na quinta-feira, fo- 
ra de casa. 

Já o meia Alex, que foi 
poupado na última rodada 
por causa de uma entorse 
no tornozelo, segue em tra- 
tamento, assim como o vo- 
lante Júnior Urso, o lateral 
esquerdo Raul Iberbia e o 
atacante Deivid. 

Suspensão 

Um desfalque certo é o meia 
Bottinelli, que está fora pe- 
lo terceiro cartão amarelo. 
Quem fica à disposição do 
técnico Marquinhos Santos 
é o angolano Geraldo, que 
retorna de suspensão. 

© METRO CURITIBA 




Dellatorre comemora o primeiro gol do Furacão i joka madruga/futura press 



Paraná. Jogadores pedem 
apoio da torcida para o 
time permanecer no G-4 



Com a vitória de 2 a 0 so- 
bre o Atlético-GO fora de 
casa, no sábado, o Paraná 
subiu para a terceira colo- 
cação da Série B, com 22 
pontos. Agora, o objetivo 
é se manter no G-4 e, para 
isso, os jogadores contam 
com o apoio da torcida. 

"Espero que o torcedor 
agora nos ajude. Vamos lo- 
tar a Vila Capanema contra 
o Joinville, pois será um jo- 
go muito difícil", disse o 
atacante JJ Morales, que 
foi o destaque da partida, 
marcando os dois gois. 

O jogo contra o Joinville 



8 



jogos já dura a invencibilidade 
do Tricolor na Série B do 
Brasileirão. 

é amanhã, às 21h50, na Vi- 
la Capanema. Os ingressos 
já estão à venda nas sedes 
Kennedy, Boqueirão e Vila 
Capanema. 

O técnico Dado Caval- 
canti terá o retorno do vo- 
lante Ricardo Conceição, 
que volta de suspensão. 

© METRO CURITIBA 




JJ Morales garantiu a vitória do time na última rodada i divulgação/paraná